O moleiro de Sanssouci

1267819_1423959947819972_1937436197_o
Você conhece a história do Moinho de Sanssouci?

E a expressão “ainda existem juízes em Berlim”? 
Essa expressão vem do conto “O Moleiro de Sans-Souci” narrado pelo escritor francês François Andriex (1759-1833) sobre um episódio ocorrido no século XVIII.
Frederico II, o “Grande”, rei da Prússia, resolveu construir um palácio de verão em Potsdam, próximo a Berlim na encosta de uma colina, onde já havia um moinho de vento, o Moinho de Sans-Souci, nome que também deu ao seu palácio. Alguns anos depois, Frederico II resolveu ampliar uma ala do seu palácio. Como o moinho estava no terreno onde ele pretendia fazer a obra, ele decidiu comprá-lo. Porém, o moleiro se recusou a vendê-lo argumentando que não poderia vender a casa, onde seu pai havia falecido e onde seus filhos cresceriam. Frederico II  insistiu e ameaçou tomar a propriedade do moleiro com seu poder real. Foi então que o moleiro disse: “Ainda há juízes em Berlim!”
O episódio passou para a história como um símbolo da independência da Justiça. Para o moleiro, a Justiça seria cega, não distinguindo diferenças sociais. E a pergunta “ainda há juízes em Berlim/ Brasília, etc…?” acabou virando um termo citado em vários livros e textos. Quando alguém quer exaltar o poder judiciário e acreditar na justiça.

Assista o vídeo para conhecer o conto e entender melhor o seu significado.
http://vimeo.com/13205490

Os comentários estão desativados.

Facebook
Facebook
Google+
Twitter
Visit Us
Instagram